Archive

Glossário de Brand Retail

Os consumidores são, cada vez mais, exigentes e querem algo de inovador, supreendente e excitante. Esse entusiasmo tem de começar na montra, espaço priviligiado de comunicação entre a loja e a rua, mas encontrar uma continuidade no interior do estabelecimento.
Uma experiência empactante resulta numa compra efetiva, que é sempre, o objetivo de qualquer negócio e, para atingir esse fim, é necessário recorrer a profissionais que estabelecem as estratégias vencedoras. É este o campo de atuação do Visual Merchandising.

Visual Merchandising é um conjunto de técnicas aplicadas no ponto de venda com o intento de criar uma atmosfera propícia a estímulos positivos que potenciem a compra. Esta experiência é construída mediante a utilização estratégica de variados elementos cujo objetivo é destacar o produto. Referimos a montra, o layout do ponto de venda, a estantaria, a música, os aromas, a disposição dos produtos, a iluminação, a decoração, o estilo arquitetónico, as cores, etc.

A experiência inicia na fachada e montra, pontos primários de contato entre o consumidor e o espaço comercial. Estes elementos permitem uma primeira impressão conseguindo o consumidor, facilmente, identificar que género de espaço comercial é o apresentado.
A montra é um dos pontos fulcrais para conseguir captar a atenção do consumidor. O Visual Merchandiser deverá implementar uma estratégia intricada de vários elementos que destaquem, de forma irrefutável, o produto gerando sentimentos de necessidade no consumidor.

Todo o layout externo é implementado segundo uma estratégia de sedução para se traduzir em vantagem competitiva.

O interior da loja é o espaço ideal para intensificar a experiência e garantir o conforto e entretenimento do consumidor. Um layout bem construído é essencial para encorajar a compra e, para tal efeito, o Visual Merchandiser tem de saber conjugar, na perfeição, diferentes elementos: facilidade de circulação no espaço, facilidade de acesso aos produtos, comunicação compreensível através da sinalização, correta etiquetagem, exposição atrativa, iluminação, cores, aromas, decoração, expositores, temperatura ambiente, música, provadores confortáveis e equipados, etc.

O convívio perfeito destes recursos deverá ser conjugado com uma imagem clara e coesa da marca.

De forma global, o Visual Merchandising é a arte de criar desejo no consumidor com recurso a experiências. Esta intervenção dá-se ao nível do layout exterior e interior, com recurso a diferentes elementos essenciais a criarem um ambiente propício a destacar o produto e, consequentemente, potenciar as vendas: cores, iluminação, decoração, estantaria, poder de circulação, correta etiquetagem, aromas, etc.

Sabia que…

Um dos primeiros empregos de Giorgio Armani foi como “window dresser”, atualmente designado por Visual Merchandiser?
Em 1957, depois de uma breve experiência na área da fotografia, Armani trabalhou na LaRinascente, uma das lojas mais famosas de Itália, como Visual Merchandiser, durante 7 anos. “Costumava coordenar o que entrava na montra e outras tarefas na loja” referiu o designer numa entrevista ao jornal La Repubblica.

Fontes:
Business Dictionary.com
The Independent “Visual merchandising: ‘When a new range is doing well, it is a personal achievement
Visual Merchandising no Varejo de Moda: Formas e Estratégias de Informação e Comunicação dos Produtos nos Pontos de Venda – Roberta Machry, Caroline Amhof de Macedo