[Parte I Store Design] “Where the Wild Flowers Are”

A Primavera é uma das estações mais inspiradoras para criadores nas diferentes áreas isto porque oferece novas formas de vida, coloridas e dinâmicas, depois de duas estações predominantemente cinzentas. A inspiração vem imbuída de todo o género de flores, um vasto espectro de cores luminosas, vegetação dos quatro cantos do mundo, animais exóticos de países distantes e outros tantos que conhecemos sobejamente.

21 de Março marca o início oficial do bom tempo e, por isso mesmo, sugerimos que entre no espírito e descubra onde se escondem as flores mais selvagens do Brand Retail.

PARTE I
STORE DESIGN

A cada nova season, pelas apresentações das novas colecções, as grandes casas de Moda fazem mais do que apenas deixar as modelos desfilarem. O que acontece é um verdadeiro espetáculo onde o cenário, muitas vezes, rivaliza com os looks.

Sob a temática do surgir da Primavera apresentamos os exemplos mais criativos de como incorporar flores na passerelle e transformar, o que poderia ser banal, em algo de impressionante.

Dior Haute Couture F/W 2012
“Flower Women”

O primeiro desfile de Raf Simons para a casa Dior marcou uma nova era da Maison francesa. A abordagem do designer belga para a colecção incidiu no ADN da marca explorando a estética arquitectónica pioneira de Christian Dior. Críticos e público em geral fizeram as respectivas vénias e as vendas dispararam mas a nossa reverência não poderia deixar de ser, senão, para o sublime espaço do desfile. A antecipação da Primavera 2012 foi encarnada num dos mais arrojados, criativos e naturais cenários em que se utilizaram flores.

Cinco grandes salões de uma mansão francesa foram decorados com 1 milhão de flores frescas. As paredes e tecto foram cobertos por delphiniums azuis, orquídeas brancas, hortenses e uma grande variedade de rosas coloridas num esquema cromático distribuído pelos espaços.

A instalação floral envolveu 150 trabalhadores e, cerca de, uma quatro dias a ser construída para proporcionar uma experiência a todos os níveis sensoriais – a fragrância que a mistura de flores emanava, as cores intensas, as diferentes texturas combinadas com as peças que desfilavam por entre a passerelle.

Chanel S/S 2009
“Paper Dream”

Para a Primavera/Verão 2009 da Chanel, Karl Lagerfeld apresentou uma colecção com predominância do preto e branco, tons icónicos da casa, e cujo material de destaque foi o papel. A popularidade deste material foi valorizada através da sua incorporação no desfile como matéria-prima para construir peças a par de ser o cenário.

As massivas colunas e enorme escadaria do Cambon-Capucines Pavilion foram cobertas com 7000 flores, pétalas e folhas feitas à mão em papel branco que demoraram 4800 horas a serem colocadas.

D&G S/S 2011
“Garden of Eden”

A, extinta, D&G apresentou uma colecção que bebe influências directas nas cores vibrantes e padrões enérgicos das flores. E se o desfilar de modelos transmitia o bom pressário da nova estação, todo o cenário acompanhava este espírito.

O inicio da passerelle era uma gigantesca porta secreta para um jardim encantado. Milhares de flores coloridas, entre os tons de lilás, vermelho, branco, rosa e amarelo, misturadas com verdura resplandecente entrelaçavam para formar um arco. Outras que tais nasciam do chão e continuavam para formar um caminho por onde iriam desfilar as modelos. O chão de madeira em tudo remetia para a natureza.

Uma perfeita sensação de festa no jardim.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: